Pages

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Grito teu nome em silêncio e não escutas, mas quando falo palavrão recusa-me?
Sentes vergonha de vir em minha direção, visto que até hoje nunca foi de fato, um não.
Agora vejo uma luz branca. Algo que nunca vi igual. Sim , nunca tive a impressão de ver-te semi nua ou contra-nua, a mim, porque sei que és compostas até do avesso.
Meu coração faz de conta que não ver-te, mas lá dentro possui um buraco grande e fundo, com letras espalhadas do teu nome e na bagunça, juntar-te não me serve. Continuo gritando então em silêncio?
É que não sei dizer o que sinto, pois esses dizeres ultrapassa-me

1 comentários:

Joéliton dos Santos disse...

Texto bacana......

Tenha um bom dia!
Abraços

Postar um comentário