Pages

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Questiono-te perguntas imbecis
Mereço respostas por grau?
Calculo-te em divisões inexistentes
E só ganho a zerar-te.

Ignora-me deixando o meu coração vazio
Assim como a tua guitarra por dentro?
Se não tocas, qual a melodia do teu som?

Decido agora: Paro de questionar-te
Mas meu coração é um poço de insistência.

Agora, que é dia
Sinta a minha e a sua mão
Como o arco-íris entra no céu,
Você abriria-se a mim?

1 comentários:

Joéliton dos Santos disse...

Olá....Lindo...

Tenha um bom final de semana,
Abração!

Postar um comentário