Pages

domingo, 5 de julho de 2009

recolho-me sem saber para onde.
pés firmes tropeça pelo coração
coração quem dera que fosse de mãe!

havendo sempre espaço para mais um
a bagunça era de me esperar, todos os dias.

pena que não seja assim.

4 comentários:

Luízα disse...

Pés de mortos (gelados) esmagando o coração sem enchergar o estrago em que fazem.

Thaty disse...

Oi baby... como é bom ler suas poesias... Obrigada por permitir isso... Bjos

Luízα disse...

Curiosa para saber que solução drástica seria essa. Beijos (:

Luízα disse...

pensando no que você falou ;D

Postar um comentário